Jovens arquitetos injetam fôlego na casa brasileira

Aos pares ou aos ímpares – mas nunca sozinhos –, coletivos de jovens arquitetos exibem fôlego e frescor na nova casa brasileira

  • Por:Allex Colontonio
  • Textos Complementares:Ana Paula Assis e Iara Aurora
  • 1 novembro 2016

Já faz um bom tempo que o mercado da arquitetura brasileira não apresentava uma geração tão “sangue nos olhos” como na última década. Logo no Brasil, país conhecido pelo modernismo de seu traço que reverberou mundo afora, o conservadorismo da classe – e do mercado – mantém os mesmos nomes no pódio há muitas décadas, seja na esfera mais arquitetônica, aquela dos grandes projetos corporativos e minimalistas, das casas geométricas brancas e quase monásticas, seja no campo dos interiores, onde a decoração é praticamente um ensaio cenográfico. Nas duas searas, somos testemunhas oculares da chegada de profissionais entusiasmados com novas propostas, como Felipe Hess e Samuel Lamas, na escala de Isay Weinfeld e Marcio Kogan, por exemplo, ou Michel Safatle na toada de Sig Bergamin e Suíte na de Roberto Migotto. O fato é que tanto na paisagem urbana, com espigões geniais que brotam para revitalizar a metrópole, seja nas mostras como a Casa Cor, que propõem formas um pouco mais atuais de lifestyle, chegou a hora e a vez do novo. E para dar os primeiros passos no circuito, é muito legal observar como esses profissionais se unem e estruturam seus estúdios, aos pares ou aos grupos. Reunimos aqui alguns expoentes da nova geração que rabiscam suas pranchetas e autocads a mais de duas mãos. Confira:

 

Triplex Arquitetura 

giz-a-soma-do-todo-triplex-foto-divulgacao

Após estudarem Arquitetura na Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), realizarem cursos na Parsons, em Nova York e atuarem em renomados escritórios, as amigas de infância Adriana Helú, 32, Carolina Oliveira, 31, e Marina Torre Lobo, 32 (todas lindas, ricas, famosas e poderosas) juntaram suas experiências para compor a bacanuda Triplex Arquitetura, escritório paulista fundado em 2008. Com estilo contemporâneo, base com linhas retas e tons monocromáticos, o grande diferencial do trabalho das meninas se encontra nos detalhes, que são pensados com extrema atenção – elas sabem produzir uma cena, vai por mim! Hoje, o ateliê especializado em Arquitetura e Interiores de construções residenciais, comerciais e incorporações, já enumera grandes feitos, como a arquitetura dos restaurantes da rede Serafina Brasil, a criação do interior do estádio Allianz Parque, além de participações na Casa Cor e na Mostra Black. triplexarquitetura.com.br

 

Studio ro+ca

giz-a-soma-do-todo-roca-foto-divulgacao

Bonitões que chegam a ofuscar, Rodrigo Béze, 29, e Carlos Carvalho, 30, são as personas por trás do escritório que está no mercado desde 2013 e que tem como uma de suas marcas o estilo jovem e descolado sempre presente nos projetos que desenvolve. Com clientes residenciais, comerciais e corporativos, a dupla emplacou matérias em veículos do meio impresso e online de países como China, Itália, Israel e Japão. Um dos trabalhos que se destacam na trajetória dos rapazes foi o desenvolvido para a “Ilha de Caras”, no ano de 2014. Formados pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro), o par Ro+ca complementou os estudos em Universidades na França e Itália. studioroca.com.br

 

PAX Arquitetura

giz-orb-et-urbe-pax-arquitetura-foto-bruno-candiotto-02

Com ênfase no trabalho colaborativo e personalizado, o PAX Arquitetura é um estúdio multidisciplinar criado em 2010, por Paula Sertório, 31, e Victor Paixão, 34, formados em Arquitetura e Urbanismo, respectivamente pela FAAP e Mackenzie. Sediado em São Paulo, o escritório tem como principal premissa a junção de tecnologias tradicionais e digitais para criação de projetos únicos, que abriguem a imprevisibilidade da ocupação humana. Com projetos que vão desde arquitetura ao design de interiores, passando pela cenografia e pelo desenvolvimento de produto, a PAX foi reconhecida em relevantes premiações nacionais e internacionais, como Design Museu da Casa Brasileira, Adaptable Gallery London 2008, New Practices New York, Prêmio Salão Design 2016 e o Mies Crown Hall Americas. pax.arq.br

 

0e1 Arquitetos 

giz-a-soma-do-todo-0-1-foto-divulgacao

Fundado em 2011, o coletivo 0e1 surgiu como continuidade da amizade entre os arquitetos Ana Cristina Castagna, 29, Anna Carolina Manfroi, 28, Gabriel Giambastiani, 28 e Mario Guidoux, 27, que passaram pelos bancos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Com base em Porto Alegre, o foco do grupo gaúcho é estudar as diferentes tipologias em escalas que variam do objeto à cidade. A combinação da prática profissional com a atuação acadêmica permitiu, desde o início, a reflexão sobre a produção do escritório na certeza que ambas as frentes se beneficiam mutuamente. O staff acredita, finalmente, que a economia de meios seja a estratégia mais adequada para atingir um produto final mais pertinente, contundente e atemporal na cidade contemporânea. “O nosso escritório busca combinar a prática profissional aliada à pesquisa, assegurando dessa forma projetos que primam pela inovação e coerência”, explicam. www.0e1.co

 

Aleph Zero

giz-a-soma-do-todo-aleph-zero-foto-eduardo-macarios

Fundado em Curitiba por Gustavo Utrabo, 31, e Pedro Duschenes, 30, o escritório de arquitetura Aleph Zero atua em áreas que abrangem desde o desenho de mobiliário, exposições, arquitetura residencial e comercial até projetos de escala urbana, tanto para clientes do setor público quanto do setor privado. Os jovens buscam materializar em cada trabalho uma atmosfera singular, conformada a partir de um processo colaborativo com artistas, filósofos e consultores especializados. Desde sua constituição, obteve o reconhecimento em publicações e prêmios nacionais e gringos. Em busca de novos horizontes e territórios, o Aleph Zero acaba de cravar as suas pranchetas na capital paulistana. Na bagagem eles trazem alguns projetos interessantes como o YouTube Space, desenvolvido com Marcelo Rosenbaum; as Casas Cubo, e mais recentemente o projeto da cobertura do vão central do Mercado Público de Florianópolis.  A dupla  ganhou a concorrência dentre diversos escritórios tarimbados em um concurso bem disputado. A grande bandeira do Aleph zero é mesclar a arquitetura com outros universos como a arte, a filosofia e a fotografia. Dessa forma eles além de viabilizarem projetos urbanos e residenciais também se destacam com intervenções artísticas como a A-tra-vés, apresentada no Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, onde o público podia circular e interagir com a obra. Outra bem interessante e que integra o portfólio deles é a [Des]dobrar com o objetivo de causar a reflexão e de desmontar a percepção de um espaço comum por meio do movimento dos reflexos. alephzero.arq.br

 

CASAdesign Escritório de Interiores

giz-a-soma-do-todo-casadesign-interiores-foto-adriano-fernandes

O arquiteto, urbanista e designer Moacir Schimitt Jr, 37, e o designer Salvio Moraes Jr., 36, formados pela Universidade do Vale do Itajaí, respondem pela CASAdesign, escritório de interiores que atua no mercado há 14 anos em projetos residenciais e comerciais, assim como design de mobiliário. Sediado em Balneário Camboriú, Santa Catarina, o QG tem como premissa o desenvolvimento de trabalhos funcionais que exploram materiais contemporâneos e brincam com o lúdico, o concreto e o abstrato. Os meninos foram reconhecidos em alguns dos prêmios nacionais de maior destaque, como o Núcleo Catarinense de Decoração e o Melhor Projeto Casa Cor SC. Também fizeram uma bem-sucedida estreia na Casa Cor SP, meses atrás. casadesigninteriores.com

 

Leão Arrais Arquitetura

giz-a-soma-do-todo-leao-arrais-foto-divulgacao

A dobradinha entre os goianienses Leão Ogawa, 27, e Heitor Arrais, 31, vem desde a infância, já que suas mães foram sócias por quase três décadas. Considerados “praticamente irmãos”, traçaram caminhos semelhantes – ambos são formados em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Goiás – que resultaram na criação do escritório Leão Arrais, em Goiânia, há quatro anos. Crédulos nos primitivos geométricos e no poder transformador da arquitetura, os sócios hoje contam com uma equipe talentosa, que fazem questão de reconhecer. “Acreditamos na força do coletivo, das ações colaborativas, no ouvir e no falar e na troca de conhecimentos”, explica Leão Ogawa. Em 2013, os arquitetos venceram o Concurso Jovem Profissional, que selecionou o melhor projeto de banheiro público para participar da Casa Cor Goiás. Desde então ganham espaço na arquitetura goianense com projetos que aliam inovação e simplicidade. leaoarrais.com

 

Rafael Zalc & Mona Singal

giz-a-soma-do-todo-rafael-e-mona-foto-raphael-briest

Os arquitetos e urbanistas Rafael Zalc, 29, e Mona Singal, 29, atuam juntos desde 2014, mas só agora iniciam ateliê conjunto, em São Paulo, que tem como foco a Arquitetura e Interiores de residenciais, além de produtos de design dotados de tecnologia e sustentabilidade. “Estamos estruturando o nosso escritório e nos próximos meses já teremos novidades”, conta Rafael, que também foi pupilo de Roberto Migotto. A parceria, que vem desde a infância, foi complementada pela mesma formação – ambos cursaram Arquitetura pela Universidade Mackenzie – o que permitiu a realização de uma proposta de serviço com foco no cliente. “É possível perceber nos projetos o olhar de forma cautelosa para o usuário, independente da escala, além do uso responsável dos materiais industriais, reciclados e/ou recicláveis”, conclui Zalc. zalcsingal.com


Mayene Precioso e Yasmin Monnerat

giz-a-soma-do-todo-escada-arquitetura-foot-divulgacao

Mayene Precioso, 37, e Yasmin Monnerat, 26, comandam juntas escritório que desenvolve projetos para empreendimentos residenciais e corporativos, que atua desde a criação de espaços até a prestação de serviços como consultoria e decoração de ambientes. Com estilo jovem, criativo e soluções ecologicamente corretas, elas estão subindo degrau a degrau no mercado. Graduada pela Escola Federal de São Paulo e FAAP, Mayene acumula no currículo experiências tanto como arquiteta quanto como cenógrafa. Já a sócia Yasmin se formou na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC). contato@escadaarquitetura.com

 

Kwartet Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-kwartet-foto-zega

Cheios de gás e estilo, operando na linha tênue entre o neoclássico e o moderninho, o Kwartet Arquitetos, de Sampa, busca desenvolver projetos residenciais e comerciais que propiciem qualidade de vida e estimulem a convivência entre os usuários – tanto que andam chamando atenção da imprensa em matérias descoladas e mostras alternativas. O escritório foi criado em 2010 por três arquitetos formados pela Universidade Mackenzie: Bruno Batistela, 33, Iraima Castro, 34, e Melina Morais, 33. Os jovens se conheceram quando eram colegas de trabalho de Roberto Migotto. “Nossa parceria vai além da afinidade criativa. Temos valores em comum, como criar projetos que vão além do belo e do funcional, mas que também acolham os usuários no cotidiano”, explica Bruno. O portfólio inclui apartamentos e casas em metrópoles brasileiras, casas no interior paulista, além de projetos nos Estados Unidos. kwartet.com.br


Triart Arquitetura

giz-a-soma-do-todo-triart-foto-divulgacao

Os arquitetos André Bacalov, 25, Kika Mattos, 29, e Marcela Penteado, 26, compõem o escritório que cria e reforma prédios, espaços comerciais e corporativos, além de projetos residenciais. Após trabalharem juntos para o arquiteto baiano David Bastos, eles fecharam sociedade em abril deste ano e estrearam na Casa Cor com um dos espaços mais comentados: a Adega de blocos de concreto.  O ambiente se destacou pela versatilidade e originalidade ao agregar valor ao material de construção. O uso e a mescla de elementos com esse aspecto mais cool é uma das marcas do trabalho em equipe, dando toque maduro e refinado aos espaços. Além de formado pela Mackenzie, Bacalov estagiou com a mãe, a arquiteta Beatriz Dutra, enquanto Kika, por sua vez, se formou pela Federal da Bahia e também em Madrid, na Universidad Alfonso X el Sabio. Marcela estudou na FAAP, estagiou com João Armentano e no escritório Archea Associati em Firenze, na Itália. Grande escola! triartarquitetura.com


Suite Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-suite-arquitetos-foto-divulgacao

O também trio formado por Carolina Mauro, 31, Daniela Frugiuele, 32, e Filipe Troncon, 32, é imbatível. Modernos, descolados e antenados, mas com um pé na elegância vintage, chamam a atenção por desenvolver trabalhos sofisticados, contemporâneos e cheios de “pulos do gato” (seja um banco inspirado na High Line de Nova York, seja um paredão de samambaias no banheiro). Juntos há seis anos, acumulam mais de 100 projetos assinados que atendem desde o mercado residencial ao comercial, além também de contarem com participação em eventos, como as Mostras Black e Modernos e Eternos (das quais marcaram presença entre os anos de 2013 a 2015). Troncon cursou arquitetura na Mackenzie, enquanto a dupla feminina estudou na FAAP e na Universidade de Madrid. Carolina é ainda graduada em artes plásticas. suitearquitetos.com.br

 

Estúdio 41

giz-a-soma-do-todo-estudio-41-foto-divulgacao

O Estúdio 41 é um escritório de arquitetura, em Curitiba, nascido da colaboração entre arquitetos formados pela Universidade Federal do Paraná e interessados na discussão dos problemas da arquitetura e da cidade. Desde 2011, o grupo é composto por Emerson Vidigal, 41, Eron Costin, 33, Fabio Henrique Faria, 28, João Gabriel Rosa, 31, e Martin Kaufer Goic, 27. A trupe acredita em trabalho viabilizado em equipe e no exercício colaborativo entre profissionais como um dos melhores meios de se alcançar a qualidade. “Vivemos em Curitiba e entendemos o debate, o questionamento contínuo sobre a maneira como ocupamos o ambiente urbano. Isso contribui para fazer um projeto evoluir e se transformar, gerando assim melhores soluções para os espaços onde vivemos. A arquitetura de Curitiba não é tão reconhecida quanto o seu planejamento urbano, mas sabemos que são os prédios, junto com os espaços públicos, que dão forma à cidade. Ou seja, boas cidades são construídas também pelos seus bons edifícios”. Para eles não há certezas pré-estabelecidas na abordagem do projeto. É necessário construir  coletivamente, com os clientes e os vários profissionais envolvidos, as perguntas e as respostas que ajudarão na busca das possíveis soluções de um novo layout. A arquitetura assume, dessa forma, uma dimensão que começa na pesquisa teórica, passa pela etapa de desenho e vai até a execução no canteiro de obras. “Temos nos dedicado à elaboração de projetos para concursos não só como uma forma de trabalhar com o que gostamos, mas também como oportunidade de amadurecer as questões relativas ao campo da arquitetura e urbanismo, o que só é possível, no nosso entendimento, quando se encara os problemas na prática da profissão”, enfatizam. O escritório atende uma clientela e facilita o entendimento da  arquitetura contemporânea como uma maneira de qualificar a própria vida. estudio41.com.br

 

Urbano Studio

giz-a-soma-do-todo-urbano-studio-foto-divulgacao

Tulio Xenofonte, de 37, e Fábio Basani, 36 anos, compõem a equipe do QG desde 2013. Enquanto Xenofonte é graduado pela UFRJ e acumula experiências profissionais em escritórios como Lula Abranches, Ricardo Nunes, da Casa3 Studio, Beto Galvez & Nórea de Vitto e ainda Leo Shehtman, Fábio se destaca pela ampla experiência no desenvolvimento de novos produtos para o mercado automotivo. Juntos, os profissionais buscam criar trabalhos com atmosfera residencial e de identidade exclusiva, tornando reais os sonhos dos clientes que atendem. Se destacaram na última edição da Casa Cor, entre outros fatores, pelo piso de madeira verde. Um luxo! urbanostudio.com.br


Coletivo de Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-coletivo-foto-divulgacao

Cerebrais e arquitetônicos dos pés à cabeça, Guile Amadeu e Rodrigo Lacerda, ambos 35 anos, formam o ateliê que começou em São Paulo, no ano de 2009, e hoje conta com mais uma unidade instalada em Aracaju, Sergipe. Entre os recentes trabalhos desenvolvidos pela dupla, destaque para o Lab 48 Coworking, que está localizado na Avenida Paulista em São Paulo. O espaço compartilhado por profissionais de diferentes áreas entrou para os finalistas do Prêmio O Melhor da Arquitetura 2016, da revista Arquitetura e Construção, na categoria Escritórios. A dupla é graduada pela FAAP, enquanto que Guile é pós-graduado pela Universidade Politécnica da Catalunya (UPC) nos cursos de Desenho e Cálculo de Estruturas, além do de “Habitar La Casa”, e Rodrigo acumula os conhecimentos de sua pós-graduação em Projeto de Arquitetura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. coletivodearquitetos.com


Terra e Tuma

giz-orb-et-urbe-terra-e-tuma-foto-pedro-kok-01

No mercado desde 2006, o escritório formado por Danilo Terra, 37, Pedro Tuma, 38 e Fernanda Sakano, 38, tem atuação vasta que abrange desde criações para residenciais, passando por mobiliário e corporativos. Projetos para o mundo educacional, comercial, de finalidades culturais, para estudos urbanísticos e concursos de arquitetura também entram para a lista de trabalhos assinados pelo trio. Exemplo disso são os premiados projetos Renova São Paulo, criado para urbanizar favelas da Serra da Cantareira e reurbanizar áreas ocupadas por mais de 35 mil famílias, a Casa+Estúdio, com menção honrosa na Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), além da casa da Vila Matilde, eleita uma das melhores construções do mundo na premiação Building of the Year 2016. terraetuma.com.br

 


Obra Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-foto-rafael-schmidt

Com referências modernistas do mestre Vilanova Artigas, o Obra Arquitetos desenvolve, desde 2005, layouts residenciais, comerciais e urbanos com foco em elementos contemporâneos, como em concreto, madeira e vidro. Por falar em Vilanova, o escritório fica na mesma sala que foi ocupada pelo grande profissional: um prédio no centro de São Paulo com imensa janela que dá vista para o entorno. Inspiração não falta! O estúdio também preserva itens que pertenceram a Artigas, como pranchetas, maquetes e ferramentas. O Obra Arquitetos teve início com a amizade entre o jose – gentílico de quem nasceu em São José dos Campos – João Paulo Daólio, 37, e o curitibano Thiago Natal, 38, que se conheceram no colégio e traçaram caminhos semelhantes na FAU-USP e na prestigiada TU Delft, na Holanda do Sul. “Nosso diferencial é a relação com o canteiro de obras, que é o nosso jeito de manter a arquitetura de raiz. Sempre buscamos novos materiais e possibilidades construtivas, enriquecendo todo e qualquer traço”, explica Daólio. Os sócios também mantêm uma marca própria de design em parceria com o arquiteto Bruno Chiarioni Thomé, a Moble Arquitetura de Móveis, que alia qualidade e engenhosidade técnica ao criar peças atemporais e sustentáveis. obraarquitetos.com e moble.com.br


Ø Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-0-arquitetura-foto-divulgacao

A letra Ø é utilizada nas línguas dinamarquesa, feroesa e norueguesa para denominar o substantivo ilha. Na linguagem técnica é sinônimo de diâmetro. O conceito que vai ao encontro da definição de território e amplia os horizontes é a matriz que conduz o trabalho dos arquitetos. Composto no ano de 2013, em Belo Horizonte, o escritório tem na linha de frente Filipe Pederneiras, 28, e Thiago Bandeira de Mello, 31. Graduados pela UFMG (2012), a dupla tem em sua trajetória passagens por Arquitetos Associados, Mach Arquitetos e BCMF Arquitetos. A atuação do QG passa pelas mais diversas tipologias e escalas de projetos arquitetônicos, abrangendo desde a habitação individual até edifícios institucionais de grande porte. A colaboração com outros jovens arquitetos mineiros também resulta em uma ativa participação em concursos públicos de arquitetura, buscando maior possibilidade de proposição dentro do contexto da arquitetura e urbanismo brasileiros, assim como amadurecimento da visão sobre a prática. Uma importante faceta  desenvolvida pelos profissionais passa pelo campo da cultura, na viabilização de layouts arquitetônicos e cenotécnicos para teatros e espaços de apresentação. Autores do plano de reforma e adequação técnica do Cine Teatro Tony Viera, em Contagem, e do Teatro Casa Cor Minas (2016), também colaboraram com Pedro Pederneiras nos projetos do Teatro Bradesco e Cine Theatro Brasil Vallourec entre outros. “Nós pensamos que o arquiteto deve ter maior influência na estética  da paisagem urbana e, como acreditamos no poder transformador da arquitetura, criamos um braço voltado para o segmento imobiliário, com a intenção de contribuir de maneira mais ativa e responsável na composição de nossas cidades”, finalizam. oarquitetos.com

 

Bloco Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-bloco-arquitetos-foto-divulgacao

Desde 2008, o escritório Bloco, formado pelos arquitetos Daniel Mangabeira, 41, Henrique Coutinho, 42, e Matheus Seco, 40, é responsável por projetos de contornos modernistas no Distrito Federal, e também, fora dele. Dentro do Plano Piloto de Brasília, os edifícios são chamados de Blocos: o Bloco residencial, o Bloco comercial, sem contar que a matéria-prima é um dos elementos que servem de base à uma construção. O nome do coletivo faz referência à cidade onde moram e também ao método de trabalho. “Trabalhamos em projetos de grande, média e pequena escala. Para nós, cada projeto deve ser resultado de uma reflexão sobre seu programa, cliente e contexto, os quais devem definir suas características específicas sem se prender a estilos ou modelos pré-definidos. Nos interessa a reflexão sobre a temporalidade, materialidade e permanência de cada construção e sua relação com nossa importante herança arquitetônica. Acreditamos no papel transformador da arquitetura”, revelam. Eles já assinaram layouts como a sede do Clube Alphaville, o showroom da loja de arte e design Outsider, bares e restaurantes como o Ernesto Café todos plantados na Capital Federal. Também carregam no portfólio honrarias importantes como finalistas na Bienal de Arquitetura Latino-Americana, em Pamplona, Espanha. domo.arq.br

 

Apiacás Arquitetos

giz-a-soma-do-todo-apiacas-foto-divulgacao

Fundado em 2000, o escritório é dirigido pelos arquitetos Anderson Freitas, 46, Pedro Barros, 43, e Acácia Furuya, 34. Até 2010, contou com a participação de Giancarlo Latorraca. O trio atua nas áreas institucionais, residenciais, comerciais e museográfica, para os setores público e privado. Com caráter multidisciplinar próprio à arquitetura, os projetos são desenvolvidos de modo colaborativo entre os arquitetos e profissionais de outras áreas pertinentes a cada desafio. A preocupação com o resultado final dos projetos levou o escritório a se comprometer com todas as etapas de cada trabalho, desde a elaboração do conceito até a execução da obra. O Apiacás tem recebido algumas premiações importantes, entre elas, o 1º prêmio na categoria de obra construída do Concurso Jovens Arquitetos do IAB-SP e o 2º lugar no Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel em 2015. Em 2016, a trupe ainda recebeu uma indicação para a Mies Crown Hall Americas Prize (MCHAP). apiacasarquitetos.com.br

 

Sub Estúdio

giz-a-soma-do-todo-sub-foto-tomas-cytrynowicz

As experiências da carioca Isabel Nassif, 31, formada em Arquitetura e Urbanismo pela Escola da Cidade, e da paulista Renata Pedrosa, 33, graduada em Arte e Tecnologia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, são a chave do sucesso do Sub Estúdio, que atua no mercado desde 2008. O escritório de Arquitetura e Design, sediado em SP, equaciona a modernidade e a simplicidade, combinação que evidencia a beleza das estruturas (ou seja: elas adoram um shape industrial). Entre os projetos de maior destaque está o Guest Urban Hotel – uma das paradinhas mais badaladas da Pauliceia. A ação compreendeu a reforma de um casarão residencial da década de 1960, no bairro de Pinheiros, em São Paulo, para a criação de uma hospedaria de fino trato, mas sem nenhuma mesmice. Finalizada em 2015, a obra transformou o local em um espaço harmonioso, com 14 suítes, jardim, sala de estar, banheiro e cozinha. subestudio.com.br

 

Atria 

giz-a-soma-do-todo-atria-arquitetos-foto-divulgacao-2

Estabelecidos em Brasília mas também com sede em São Paulo, o atelier ATRIA está na praça desde 2002. Fundado pelos arquitetos e urbanistas pela Universidade de Brasília, Gustavo Costa, 40,  e Gabriela Müller, 42,  o QG é reconhecido por sua atividade em arquitetura, urbanismo, engenharia, gerenciamento da construção, design e pensamento estratégico. Também integram o staff as arquitetas associadas Christiana Matos, 36, e Larissa Sudbrack, 30, ambas também graduadas pela UnB. A linha mestra que conduz o trabalho escritório se dá no comprometimento em buscar soluções inovadoras de desenho, consonantes com o pensamento artístico aliados à conceitos que valorizam a conservação ambiental baseados numa metodologia multidisciplinar de produção. Tudo pensado para viabilizar soluções inovadoras aos clientes com os melhores custos. Do elenco de trabalhos destacam-se a sede da Agência Giacometti Comunicação em Brasília (2012), o auditório da empresa Advocacia Bettiol (2010), a nova sede da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República (2009), as exposições como A Volta ao mundo em 80 fotos e Brasília Iluminada (2010) bem como projetos privados de casas e apartamentos. O ATRIA também se dedica ao desenhos gráfico, de produtos e mobiliário como a mesa de centro Tensegridade que consquistou medalha de prata no prêmio IDEA Brasil 2012. atria.arq.br

 

Conteúdos Relacionados