Em um sobrado típico dos anos 1950, Borgo surge na Mooca com um cardápio inspirado no aconchego de casa de nonna

Empreitada do chef Matheus Zanchini e da empresária Bianca Giacomelli apresenta pratos de base italiana combinados a técnicas de defumação

  • 17 novembro 2017

Borgo-fundos

Para quem vê de fora, desde a rua Comendador Roberto Ugolini bem em frente ao estádio do Juventus, o Borgo quase se camufla no meio das outras casinhas típicas da tradicionalíssima Mooca, em São Paulo. No coração do reduto italiano na cidade, a proposta do restaurante recém-inaugurado pelo chef Matheus Zanchini e pela empresária Bianca Giacomelli é justamente trazer esse clima acolhedor e afetivo para o momento das refeições – estas  asseguradas por pratos fartos e saborosos que, em contrapartida à ambientação de casa-de-avó, atualizam opções culinárias mais tradicionais do país em formato de bota.

Borgo-BURRATA-COM-TOMATES-DEFUMADOS-E-TAPENADE

Para abrigar a ideia, os empresários ressignificaram a divisão espacial do sobrado dos anos 1950, preservando sua arquitetura, para fazer de todos ambientes, espaços para reunir famílias e grupos de amigos em volta da mesa. As paredes foram pintadas de branco óptico e a varanda, toda coberta com esteiras de palha. Uma alusão à Puglia, no Sul da Itália, de onde surge inspiração para alguns dos pratos. O próprio nome do estabelecimento, em português, significa ‘’burgo’’, uma alusão às vilas e aos centros comerciais da época medieval. A decoração com objetos pessoais herdados de parentes e outras relíquias vintage feito cerâmicas, livros de gastronomia e fotos de família, combinados com vasos de flores pendurados nas janelas, casa em cheio com o charme da ideia de “sentir-se em casa”, assim como o são os próprios alimentos ali preparados (mais especificamente, feitos na cozinha localizada em uma segunda casa, imediatamente aos fundos, também toda adaptada): o restaurante apresenta um menu sazonal com ingredientes sempre frescos e diferentes técnicas de defumação em seus pratos.

Borgo-CARNE-CRUDA-E-FOCACCIA-NA-MANTEIGA-DE-TUTANO

Matheus Zanchini divide o tempo entre o comando dos negócios e a frente da bancada. O chef, que reúne uma experiência de 15 anos na gastronomia, tem no currículo passagem por cozinhas de nomes como Erick Jacquin e Greigor Caisley, além de experiência internacional, de onde voltou para empreender no bairro da Mooca. Dentre os destaques por ele preparados no Borgo estão o tradicional bolinho italiano arancini (R$ 30), a Mozzarella in Corrozza acompanhada de salsa de tomates defumados (R$ 35) e a Burrata Crema em comum com Tapenade e tomate italiano defumado (R$ 30). O carbonara, um clássico, aparece com nova roupagem: com peito de pato defumado (R$ 45). O galeto defumado também vem acompanhado de polenta com manteiga de tutano (R$ 42). Ainda no menu, fregola sarda, pancetta e mini polvo com tomates (R$ 48); carne cruda (R$ 35); lombo de atum defumado a lenha com salada caponata e vinagrete de peperoni (R$ 45); pappardelle acompanhado de lagostins, azeite trufado e gema curada no capim (R$) 52; arroz caldoso com galeto defumado (R$ 42); lasagna morna com lombo de atum e salsa putanesca (R$ 52); e espaghetti Cacio e Pepe (R$ 45).

A carta de sobremesas traz a tradicional pastieira di grano com calda de ameixas (R$ 20); tiramisú (R$ 25);  marquise de chocolate em duas texturas (R$ 25); pêra glaciada no chocolate (R$ 25); e merengata em coulis cítrico (R$ 20).

Borgo
R. Com. Roberto Ugolini, 129, Pq. da Mooca, São Paulo. De quintas e sextas, das 18h30 às 23h; sábados, das 12h às 23h; domingos das 12h às 17h. T (11) 970 417 543. @borgomooca