Revista Giz

03 Mai 2017 - Jul 2017

Água Viva

INSIDER GIZ

Uma cascata para Duchamp: o Jardim Deca assinado por Hanazaki para além das fronteiras do impossível

Na GIZ 3, o limiar entre a poesia e o rigor estético do espaço assinado pelo arquiteto-paisagista, o ambiente de experiência e contemplação que se tornou o maior point da Casa Cor São Paulo 2017

  • Fotos:Yuri Seródio
  • 10 julho 2017

giz-casa-cor-2017-deca-alex-hanazaki-2

Não é de hoje que o simples e sonoro nome Deca virou uma senha para designar as louças e metais sanitários mais bacanas do País. No mercado desde 1947, a marca mais querida entre os especificadores de qualquer escola ou estilo faz da proximidade e do relacionamento com arquitetos, decoradores e paisagistas um dos seus principais cartões de visita. Mas, por trás deste mérito, que decifra cada vez mais de perto as necessidades e demandas de seu abrangente público, está um outro muito mais elementar: a qualidade irrefutável de seus produtos, feitos com a mais alta qualidade e tecnologia de distribuição, manuseio e contenção, esculpidos no que há de melhor em design. Tanto prestígio transbordou das prateleiras (e das casas dos clientes mais exigentes) para as mostras mais expressivas do País. O Espaço Deca, há mais de duas décadas, se transformou num dos points mais festejados da Casa Cor, convidando, a cada ano, grandes nomes que vão de Sig Bergamin a Roberto Migotto, para interpretar seus produtos nas abordagens arquitetônicas mais diversas.

giz-casa-cor-2017-deca-alex-hanazaki-3

Na edição 2017, uma das mais comentadas de todos os tempos, o paulista Alex Hanazaki, que já foi eleito o melhor paisagista do mundo segundo a ASLA (American Society of Landscape Architects) eleva os metais e louças da marca ao status de arte em seu jardim/labirinto sensorial.
Propondo uma espécie de “Deca Experience”, o ambiente abarca três cenários distintos – e surreais –, sendo um corredor de entrada com intervenção ornamental de gabião de pedra rachão, espelho d’água revestido de seixos, um muro temático em alusão a uma fonte natural – com 22 lavatórios suspensos brancos L.99 e bicas do misturador Polo de parede, no acabamento D.coat Red Gold. No segundo momento, Hanazaki aplicou em uma grande pérgola de madeira nada menos do que 33 chuveiros Quadrados de teto também em Red Gold, criando uma cortina ilusória, quase uma cascata, que permite visualização parcial do jardim. Após esse percurso, inicia-se um jardim cênico interativo, com plano de fundo elaborado por totens esculturais de cobogós, composto por 539 bacias convencionais Carrara (P.60) Branco, formando uma grande instalação com diferentes ângulos de um mesmo objeto.

giz-casa-cor-2017-deca-alex-hanazaki-1Contribuindo para o projeto de gestão de sustentabilidade, Alex Hanazaki utiliza no Jardim Deca, sistema de reúso de água, iluminação de LED, madeira de reflorestamento, além de bacias de descartes da marca. Nem Marcel Duchamp (1887-1968), mestre do Dadaísmo que subverteu o uso das louças sanitárias e revolucionou a história da arte, teria ido tão longe.

DECA
deca.com.br

 

Conteúdos Relacionados